29 de jan de 2009

Despacho?


São tantas as definições de um "despacho"... Em espanhol, por exemplo, despacho é a mesa de trabalho do "chefe".

Vemos aqui um "bendito" ou "santo" despacho.

Até Al Gore está despachando! 

Bom Despacho é uma cidade em Minas Gerais. E também aqueles conhecidos papéis que nossos burocratas adoram fabricar... Mas os mais legais são aqueles mesmos que conhecemos e que são feitos no chão: o seu, o meu, o nosso despachão!

Eu não sabia, mas existe despacho proveniente das tradições incas,

e até pó para despacho!

Bem, mas quando penso num belo despacho me vem logo à cabeça a cor vermelha, aquele vermelhão do coração, com tintas fortes. Pois bem, pra começar o programa DESPACHO 2009 deixo aqui pra vcs um poema, escrito numa tarde em 2006. Axé!

*
Tarde milonguenta na Urca
Fluidos espessos saem de dentro de mim
Fluidos sanguinolentos
Cor cinzento grafite na atmosfera, 
vermelho escarlate por dentro, escorrendo nas cavidades,
bombeando a máquina de viver.
Todo dia: acordar
Todo dia: fazer
Todo dia: produzir
Todo dia: extrair graça da desgraça
Todo dia: passar uma conversa na solidão
E aí surge outro coração nessa conversa tola,
um outro coração com cavidades sanguinolentas,
bombeando outra máquina de viver.

E agora José?
Maria não sabe o que fazer.
Maria, tão gata sem graça.
Maria, idiota!
Corre pro abraço Maria!
Mas não.
Maria fica olhando a curva dos seus olhos
no espelho onde faz as sobrancelhas,
e desliga o celular.
Que é pra não correr risco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário